Vacina de febre amarela disponível

Acima de 60 anos somente com prescrição médica, sujeita a avaliação.

foto-destaque-calendario-adolescente v2

Vacinas para adolescentes e adultos

Febre Amarela

O Brasil tem vivenciado o maior surto de febre amarela observado nas últimas décadas, envolvendo principalmente os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, que apresentam os maiores números de casos confirmados, mas também os Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. O grande receio é a possibilidade de urbanização de uma doença que não ocorre nos centros urbanos desde 1942 no Brasil, mas que tem assolado países africanos como Angola e República Democrática do Congo obrigando, somente em 2016, a Organização Mundial da Saúde (OMS) direcionar e reabastecer três vezes sua reserva de emergência internacional para a vacinação contra a febre amarela.

Apesar de evidências, divulgadas pela OMS, de proteção prolongada após uma única dose da vacina contra a febre amarela, até a pouco tempo o Brasil recomendava a realização de esquema de duas doses da vacina contra a febre amarela, no qual estava indicado uma dose de reforço após 10 anos da primeira dose.

Recentemente, o Ministério da Saúde seguindo a recomendação da OMS, baseada nos dados de proteção prolongada associados a esta vacina, adotou esquema de dose única para as áreas com recomendação de vacinação em todo o país. Tal fato deveu-se também, em parte, a necessidade de vacinação de um número maior de pessoas diante das reservas limitadas na produção desta vacina. Entre os produtores credenciados pela OMS estão a Sanofi-Pasteur (França), Bio-Manguinhos (Brasil) e Instituto Pasteur (Senegal).

Portanto, todos com idade entre 9 meses a 59 anos de idade residentes ou viajantes para áreas com recomendação de vacinação, devem receber a vacina contra a febre amarela desde que não apresentem contraindicação.

Atualmente, o Centro de Controle de Doenças (CDC) nos EUA também não recomenda doses de reforço para a maior parte dos viajantes; entretanto considera a realização de uma dose de reforço para aqueles viajantes que vacinaram a mais de dez anos e se destinam para áreas de risco elevado ou com a ocorrência de surto da doença.

A Prevcenter Clínica de Vacinação, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, também não recomenda doses de reforço para a maioria dos seus clientes. Entretanto, sugerimos considerar uma única dose de reforço para  aqueles vacinados há mais de dez anos e que residam ou se desloquem para áreas de transmissão elevada da febre amarela.

A vacina está contraindicada nos imunossuprimidos, nas gestantes e nas mulheres amamentando crianças menores de 6 meses de idade.

A vacinação é segura, garante proteção prolongada e, é a forma mais eficaz de prevenção contra a febre amarela.

Para viajantes com viagens internacionais : seguir as recomendações do  Regulamento Sanitário Internacional (RSI). Viagens para áreas com recomendação de vacina, no Brasil : vacinar, de acordo com as normas do PNI, pelo menos 10 dias antes da viagem, no caso de primovacinação . O prazo de 10 dias não se aplica no caso de revacinação.

A emissão do Certificado Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) é realizado gratuitamente pela Anvisa. O processo pode ser feito em unidades da própria Vigilância Sanitária, presente em todos os aeroportos brasileiros. Como a Anvisa exige a assinatura do viajante, o procedimento para emitir o CIVP é pessoal e intransferível.

Nos casos em que esta vacina esteja contraindicada , o viajante deve apresentar o Atestado ou Certificado de Isenção de Vacinação e Profilaxia. A emissão do documento deve ser feita por um profissional médico ou Centro de Orientação do Viajante.

Informamos que a vacina contra a febre amarela da Sanofi-Pasteur (França) está disponível nas unidades da Prevcenter.