foto-destaque-calendario-adolescente v2

Vacinas para adolescentes e adultos

Pneumocócica conjugada 13-valente

A doença pneumocócica, e em particular a pneumonia pneumocócica, é um problema de saúde pública. A doença pneumocócica causa o óbito de 1,6 a 2,0 milhões de pessoas a cada ano no mundo; metade destes óbitos ocorrem nos adultos e idosos. A doença pneumocócica é a causa mais comum de óbitos causados por doenças passíveis de prevenção no mundo.

O pneumococo é a bactéria responsável por grande parte dos casos de pneumonia, otite, sinusite, infecções da corrente sanguínea e meningite em todo o mundo. Essa bactéria é a causa mais comum de pneumonia na comunidade acometendo o idoso, o adulto jovem e a criança.

A ocorrência das formas mais graves da doença pneumocócica e a letalidade aumentam nos idosos e nos pacientes portadores de doença pulmonar crônica, enfisema, asma, fumantes, doença cardiovascular crônica, diabetes mellitus, doenças hepáticas crônicas, cirrose, esplenectomia, câncer, transplante de órgãos ou medula óssea, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica e uso de quimioterapia ou corticóide por tempo prolongado. Esta bactéria apresenta mais de 90 tipos distintos; a imunidade é específica para cada sorotipo do pneumococo. Portanto um indivíduo que apresente pneumonia por esta bactéria pode apresentar novos episódios por outros sorotipos.

Esquema: Existem duas vacinas contra a infecção pneumocócica.

-A vacina pneumocócica polissacáride 23-valente (VPP23), protege contra 23 sorotipos e é utilizada nos adultos e idosos, não sendo eficaz abaixo dos dois anos de idade. Está recomendada para todos acima de 60 anos de idade em esquema de duas doses com intervalo de cinco anos; também está indicada para aqueles entre 2 e 60 anos portadores de condições de risco elevado para doença pneumocócica.

-A vacina pneumocócica conjugada 13-valente (VPC13), protege contra 13 sorotipos e está indicada para todos os adultos acima de 19 anos portadores de doenças com risco elevado para infecção pneumocócica, tais como: imunodeficiências adquiridas ou congênitas, portadores de HIV, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, leucemias, linfomas, doença de Hodgkin, neoplasia, imunossupressão por drogas, transplantados de órgãos sólidos, mieloma múltiplo, esplenectomizados, anemia falciforme, fístula liquórica e implante coclear. Nos pacientes de risco elevado para infecção pneumocócica o esquema de vacinação preconizado para a prevenção da doença pneumocócica deve ser iniciado com uma dose da vacina 13 valente (VPC13) seguida de uma dose da vacina 23 valente (VPP23) dois meses depois, e uma segunda dose de VPP23 cinco anos após. Para indivíduos que já receberam uma dose prévia da VPP23, recomenda-se um intervalo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre as duas.

Para indivíduos que já receberam duas doses prévias da VPP23, recomenda-se uma dose da vacina 13 valente desde que tenha sido decorrido intervalo de um ano após a última dose da VPP23.

Sempre que a segunda dose da vacina 23 valente tiver sido aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois desta idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.