foto-destaque-calendario-adolescente v2

Vacinas para adolescentes e adultos

Papilomavírus (HPV)

A infecção pelo HPV é uma doença sexualmente transmissível causada por um vírus denominado papilomavírus humano.

Aproximadamente 15 a 20 tipos do HPV são oncogênicos, ou seja, estão associados com a ocorrência de casos de câncer do colo do útero. Cerca de 1 em cada 10 pessoas, no mundo, estão infectadas pelo HPV.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o câncer do colo do útero é o segundo tipo mais comum de câncer entre mulheres, atrás apenas do câncer da mama. Até completar os 50 anos de idade, cerca de 80% das mulheres vão adquirir pelo menos uma infecção genital pelo HPV.

No mundo, a cada ano, o câncer de colo do útero é responsável por 500.000 novos casos e 270.000 óbitos entre as mulheres; 80% dos óbitos ocorrem nos países em desenvolvimento. Os papilomavírus tipos 16 e 18 são as causas mais importantes do câncer do colo de útero e de outros cânceres genitais, enquanto os tipos 6 e 11 são responsáveis por cerca de 90% das verrugas genitais. Os HPV tipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

Esquema: Existem duas vacinas contra o HPV licenciadas no Brasil: a quadrivalente (contra os tipos 6, 11, 16 e 18) indicada para os sexos feminino e masculino, e a bivalente (contra os tipos 16 e 18) indicada somente para o sexo feminino. O esquema de vacinação é composto por três doses sendo a 1ª dose na data escolhida, a 2ª dose um mês (no caso da vacina bivalente) ou dois meses (no caso da vacina quadrivalente) após a primeira dose, e a 3ª dose seis meses após a primeira dose.

As duas vacinas demonstraram eficácia altíssima na prevenção do câncer de colo associado aos tipos 16 e 18, e também algum grau de proteção cruzada contra outros tipos não contidos na vacina.
Estas vacinas estão contraindicadas durante a gestação.

Devem vacinar contra o papilomavírus: Ambos os sexos feminino e masculino de 9 a 45 anos.

Também é válido, a critério médico, vacinar mulheres que já apresentaram infecção prévia pelo papilomavírus, pois pode haver benefício na prevenção contra outros tipos do HPV para os quais a vacina confere proteção.